Participe do programa e ganhe bolsa de 50% ou 100% no curso teórico da Casa de Redação

Participe do programa e ganhe bolsa de 50% ou 100% no curso teórico da Casa de Redação

Nós queremos ajudar a o acesso ao aprendizado

Nós queremos ajudar a democratizar o acesso ao aprendizado

Com a preparação à distância para o Enem 2020, nós, da Casa de Redação, queremos democratizar o acesso ao aprendizado e levar nosso método de ensino para a casa de milhares de estudantes brasileiros que cursam o Ensino Médio em escolas públicas.  Por isso, criamos o Redações Plurais: um programa de bolsas de 50% ou 100% (para alunos beneficiários do Bolsa Família) que garante o acesso ao nosso material de estudo online com aulas sobre a estrutura da redação do Enem, repertório sociocultural para desenvolver o conteúdo da prova e exemplos práticos de aplicação do conhecimento.

Quer saber todos os detalhes do programa e como você pode participar?
Então embarque nessa com a gente:
E se você ainda não entendeu a importância desse amplo acesso, a gente explica do jeito que sabemos melhor:

através de
uma redação
nota 1000!

através de uma redação nota 1000!

Título:
A democratização do acesso ao conhecimento para preparação para o Enem 2020 Introdução

Introdução:
No dia 26 de fevereiro de 2020, o Ministério da Saúde confirmou no Brasil o primeiro caso do coronavírus, doença de rápida difusão que tem gerado, além de mortes e superlotação de hospitais, mudanças de hábitos em todo o mundo para adequação coletiva ao isolamento social. Entre os indiretamente afetados, encontram-se alunos de todos os níveis de ensino: segundo a UNESCO, 80% dos estudantes estão sem aulas, inviabilizando a manutenção do aprendizado. Nesse contexto, a educação a distância (EaD) surge como opção fundamental para oferecer a todos um ensino de qualidade durante o período de permanência das famílias em casa, porém, sua implementação massiva esbarra na desigualdade social histórica do país.

1º Argumento: No dia 26 de fevereiro de 2020, o Ministério da Saúde confirmou no Brasil o primeiro caso do coronavírus, doença de rápida difusão que tem gerado, além de mortes e superlotação de hospitais, mudanças de hábitos em todo o mundo para adequação coletiva ao isolamento social. Entre os indiretamente afetados, encontram-se alunos de todos os níveis de ensino: segundo a UNESCO, 80% dos estudantes estão sem aulas, inviabilizando a manutenção do aprendizado. Nesse contexto, a educação a distância (EaD) surge como opção fundamental para oferecer a todos um ensino de qualidade durante o período de permanência das famílias em casa, porém, sua implementação massiva esbarra na desigualdade social histórica do país.

2º Argumento: Contudo, nem todos os brasileiros possuem acesso à internet e a dispositivos digitais. Segundo levantamento da TIC Domicílios, cerca de 30% dos brasileiros não estão conectados, colocando-os em franca desvantagem no progresso dos seus estudos e, consequentemente, na busca pela aprovação no vestibular. Tal situação está de acordo com o pensamento do sociólogo espanhol Manuel Castells, segundo o qual a Era Digital, período atual, é definido por uma maior discrepância de oportunidades entre quem possui conexão e os desprovidos dos aparatos digitais. Por isso, é fundamental expandir as possibilidades de estudo on-line para tornar mais justa a oferta da educação.

Conclusão: Portanto, a fim de aproveitar as ferramentas virtuais o máximo possível e estender seu uso a todos os brasileiros na busca pela continuação dos estudos e da aprovação no vestibular, medidas urgentes devem ser tomadas. É preciso que instituições que oferecem cursos pela internet, como a Casa de Redação, deem maiores facilidades aos alunos de escolas públicas, principalmente àqueles beneficiados com o Bolsa Família, por meio da oferta de desconto de 50% no valor do curso teórico aos estudantes estaduais e bolsas integrais aos beneficiários do programa, a fim de democratizar os conhecimentos necessários para a aprovação no Enem. Além disso, é necessária uma política ampla, iniciada em caráter de urgência e mantida em longo prazo, para ampliar o acesso à rede, por meio da oferta de conexão aos menos favorecidos e da disponibilização de computadores ao público. Dessa forma, amenizaremos as inevitáveis perdas causadas pelo coronavírus na educação e reduziremos a discrepância entre a diversidade de alunos brasileiros.