Modelo de redação sobre ACESSO À INTERNERT

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Queridaions, trankilovsky?

Acesso à internet é um tema maroto que está em discussão. Nessa pandemia, então, nem se fala! Quantos alunos deixaram de continuar os seus estudos porque não tinham aparelhos adequados ou acesso à internet. Assim, nossas desigualdades sociais ficaram ainda mais escancaradas, não mesmo?

Fizemos um modelo de redação sobre o acesso à internet naquele modelo nota 1000 do Enem!

Durante toda a história da humanidade, a comunicação foi, e ainda é, um dos principais fatores para a evolução. Em vista disso, durante o século XV, a invenção da prensa hidráulica revolucionou a forma e a velocidade com que as informações eram passadas; já na atualidade, a Revolução Técnico-Científica levou a informatividade a um nível jamais visto e a uma rapidez que impressiona até mesmo a população do século XXI. Nesse sentido, a internet passou a ser componente fundamental da sociedade, tornando-se um direito humano e uma forma de exercer a cidadania e, por isso, deve ser garantida aos brasileiros.

            Decerto, os avanços hodiernos constituíram uma nova configuração das relações interpessoais e econômicas. Segundo o sociólogo Manuel Castells, a era digital é a geração em que o processamento e a transmissão de dados são fontes importantes de produtividade e poder, o que cria dependência dos instrumentos tecnológicos para a ascensão de um país. Diante disso, é evidente que o Brasil não tem aproveitado o potencial e as oportunidades que a internet oferece, tanto para modernizar setores de produção, quanto para melhorar a educação dos jovens. Com isso, o contato de grande parte da população com a tecnologia fica prejudicado, e um direito é violado.

            Além disso, a gestão do país poderia ser facilitada se o processamento de dados fosse bem utilizado. Um exemplo disso é a Estônia, conhecida por ser uma democracia digital onde quase tudo pode ser resolvido pela rede, e também por ser o primeiro lugar a realizar eleições pela internet. Contudo, toda essa evolução só se torna possível graças ao empenho do Estado estoniano em tornar o acesso à tecnologia algo fácil e gratuito, através da disponibilização de wi-fi de qualidade em todos os ambientes públicos, integrando toda a população ao meio digital. Essa realidade é completamente diferente da brasileira, porém, deve ser tomada como modelo para que os problemas da nacionalização do acesso à internet sejam resolvidos.

            Portanto, é imprescindível a tomada de medidas para que a inserção à rede seja democratizada. Para isso, cabe ao Ministério da Tecnologia, juntamente com as escolas, desenvolver projetos de educação tecnológica nas instituições públicas, por meio da construção de laboratórios de informática e pela disponibilização de wi-fi nos ambientes escolares, pois é necessário que os jovens aprendam a usufruir da produtividade da era digital, a fim de tornar os avanços um fator de poder econômico para o Brasil. Ademais, o Ministério do Desenvolvimento Social deve garantir a instalação de internet gratuita em espaços públicos, como nos ônibus e praças, da mesma forma que a Estônia. Assim, o acesso à web se tornaria definitivamente democrático e um direito humano seria assegurado.

Gostou do artigo? Compartilhe com os amigos o link deste artigo 😉

Nossas redes sociais:

Instagram: @casaderedacao

YouTube: Casa de Redação

Telegram: casaenem